Domingo, 25 de Janeiro de 2009
VÉSPERAS
25janb

Mação, há minutos.

Já não corremos para a rua mal a chuva pare para fazermos regatos e barragens… e as ruas da nossa infância que nem sequer conheciam o empedrado luxo das calçadas.

Obrigado por crescer, Contigo, sempre por perto, a ver.

antónio colaço


publicado por animo às 23:53
link do post | comentar | favorito
|

PASSEIO COM ASAS
25jand1

Linha da Beira Baixa,Ortiga.

25jan1

Completamente surpreendido por um bando de mais de meio quilómetro de aves em suave passeio migratório pelo Vale do Tejo abaixo. Afinal, a nossa recessão constitui uma boa ocasião...

25janc

...para uma óptima refeição.Vai uma boguinha fresquinha?!Que pena não ter uma outra lentezinha!

25jane

Depois do manjar, há que continuar.Lisboa, por este rio abaixo...

antónio colaço


publicado por animo às 21:54
link do post | comentar | favorito
|

WEBANGELHO
freibentodomingos

Antes, dizia-se que uma pessoa sem Deus era alguém sem moral. Agora, são os antiteístas que vêem nos crentes um perigo



1.Diante da promessa do meu texto no domingo passado, alguém teve a amabilidade de me aconselhar a não voltar ao tema: isso só poderia servir a propaganda antiteísta que pretende divulgar a ideia de que as religiões são a origem de todos os males e de que, suprimida a ideia de Deus, as religiões caem irremediavelmente por terra e começa uma era limpa de enganos milenários. Quando, em 1975, me convidaram a visitar o museu do ateísmo em Leninegrado, declinei o convite. A simples ideia de um tal museu deu-me imensa vontade de rir e preferi mais tempo para as maravilhas do Hermitage. Não ignoro que o ateísmo tem, na história do Ocidente, diversas expressões literárias e filosóficas. Hoje, não falta quem julgue que a própria ideia de Deus é uma pseudo-ideia. Há expedientes simplistas para evitar a palavra entre religiosos e ateus: que importa aos crentes que os outros não acreditem e vice-versa? Cada um que guarde, para si, as suas convicções, seguindo a velha consigna: aqui, de política e de religião, não se fala. A situação real talvez não se resolva com esse expediente. Se antes, em algumas sociedades, se dizia que uma pessoa sem Deus era alguém sem moral e uma ameaça para a sociedade, agora, são os antiteístas que vêem nos crentes um perigo para a ciência, para o progresso, para a felicidade, uma raça a extinguir. Para uma situação destas, é preciso algo mais do que um apelo à tolerância e ao respeito pelos direitos humanos. Em muitas situações são precisamente estes que não são reconhecidos. Por outro lado, seria ridículo supor que o mundo está a caminho de uma comunidade guiada só por critérios científicos que avaliam o que está certo ou errado. Face à complexidade da condição humana e à morte, a inteligência encontra-se diante de questões e fenómenos misteriosos - não apenas enigmas - que a razão não pode controlar. A crença talvez não esteja tão em crise como se diz. Para dar um sentido último à aventura humana, o corpo essencial de doutrina das grandes religiões parece ter longos dias pela frente.

2.A tomada de posse de Barack Obama foi, como estava previsto, político-religiosa: juramento da Constituição e mão na Bíblia. Ninguém pensa que isso tenha, por si mesmo, um resultado político e religioso automático. Pedir a Deus ajuda e bênção para os EUA não garante, só por si, que o presidente respeitará o desígnio da Constituição e, quanto à Bíblia, há, nessa biblioteca, de tudo para todos os gostos. Com o mesmo juramento, Bush foi uma desgraça mundial e aguardo que o novo Presidente não ajude nem permita desgraças como foram a invasão do Iraque e a matança de Gaza. Tornou-se, no entanto, evidente que a autenticidade humana, política e religiosa, manifestada no seu itinerário até à tomada de posse, suscitou uma fé e uma esperança colectivas, um desígnio comum, uma vontade de vencer a crise, como um serviço a toda a América e ao mundo. Um sentimento religioso, transcendente e humano percorreu esse dia.

3.Voltando ao ponto em que deixei o texto do domingo passado, não me parece que a ciência de R. Dawkins vá substituir a religião. Como dizia o poeta Eliot, "não há nada neste mundo ou no outro que possa ser substituto de outra coisa". Já referi a obra de resposta de Alister McGrath a Dawkins que termina com um convite: "Temos muito a ganhar com um debate comum, cordato e rigoroso. A questão acerca da existência de Deus - e como será Deus se existir - mantém ainda toda a sua importância intelectual e pessoal nesta época pós-Darwin. Encontramos mentes fechadas de ambos os lados da barricada. Os cientistas e os teólogos têm muito a aprender uns com os outros". Foi, aliás, nesse processo, que este biólogo passou de ateu a cristão, sentiu a necessidade de se doutorar em Teologia e, sem deixar a prática científica, tornou-se padre da Igreja anglicana.
Para superar este abismo entre as mentes fechadas, fundamentalistas, de ambos os lados, um outro biólogo, presidente da American Association for the Advancement of Science, Francisco J. Ayala (1), escreveu uma obra, mostrando que não há contradição necessária entre a ciência e as crenças religiosas. "A ciência procura descobrir e explicar os processos da natureza: o movimento dos planetas, a composição da matéria e do espaço, a origem e a função dos organismos. A religião trata do significado e propósito do universo e da vida, as relações apropriadas entre os humanos e o seu criador, os valores morais que inspiram e guiam a vida humana. A ciência não tem nada a dizer sobre essas matérias, nem é assunto da religião oferecer explicações científicas para os fenómenos naturais. (...) O Deus da revelação e da fé cristã é um Deus de amor, misericórdia e sabedoria". Como se dizia na antiga Missa, o Deus que alegra a minha juventude.
Ayala, no balanço final do seu percurso, verifica que "a evolução e a fé religiosa não são incompatíveis. Os crentes podem ver a presença de Deus no poder criativo do processo de selecção natural de Darwin". Era esta, aliás, a convicção do próprio Darwin.
(1) Francisco J. Ayala, Darwin y el Diseño Inteligente, Madrid, Alianza, 2008

In Publico, hoje


publicado por animo às 21:53
link do post | comentar | favorito
|

Sábado, 24 de Janeiro de 2009
WEBANGELHO
anselmoborges_deus2

ÉTICA E RELIGIÃO NA ECONOMIA

Anselmo Borges
Padre e professor de Filosofia

 



Perante o estrondo da crise financeira, que está a chegar, avassaladora, à economia real, há da parte de muitos um enorme apelo à ética e aos valores na finança, na empresa e na economia em geral.

Há vantagens nisso, como diz Josef Wieland, professor de Ética: os valores éticos trazem enormes bens à empresa, como, por exemplo, a segurança jurídica; "a reputação da empresa aumenta e ela acaba por receber os melhores e mais motivados colaboradores". É preciso ter em conta que a corrupção vai recuar e "as regras éticas defendem em todo o mundo os empresários da prisão".

Não é por acaso que são esperados quatro mil participantes no sexto congresso cristão de empresários e gestores, que se realiza em Düsseldorf, Alemanha, de 26 a 28 de Fevereiro próximo, sob o lema Avançar para a Chefia com Valores. Isto não significa de modo nenhum que a ética empresarial seja um exclusivo dos crentes, mas a fé tem de ter influência no mundo dos negócios.

Na Alemanha, 66% dos empresários dizem acreditar pessoalmente em Deus e, segundo impulse, revista para empresários, no seu número de Janeiro, a união de empresários católicos atingiu o número histórico de mais de 1200 membros e, no caso dos empresários protestantes, o número multiplicou-se em poucos anos por dez, sendo agora 600.

Segundo uma sondagem da Forsa, as normas éticas e morais desempenham um grande papel para 50% dos empresários alemães, sendo interessante verificar que essa normas são mais importantes para os empresários protestantes (58%) do que para os católicos (47%). Segundo a mesma sondagem, da fé derivam deveres: responsabilidade pelos trabalhadores (71%), sinceridade, justiça, lealdade (31%), decisões socialmente compatíveis (18%) e há limites morais para o rendimento pessoal: católicos (62%), protestantes (42%), sem confissão religiosa (56%), empresários em geral (52%).

Haverá contradição entre a fé em Deus e a maximização do lucro? Os crentes em geral respondem: sim (28%), não (68%). Os passos da Bíblia mais citados pelos empresários crentes são: "ama o teu próximo como a ti mesmo", "o Senhor é o meu pastor" e os dez mandamentos.

Segundo o bispo Wolfgang Huber, presidente do Conselho da Igreja Evangélica na Alemanha, a maximização do lucro e o amor do próximo podem ser compatíveis: "a Igreja não é estranha à realidade". A responsabilidade económica precisa de ter os pés assentes na terra e a proximidade ao Homem. A presente crise financeira não pôs em causa a economia social de mercado. De qualquer forma, o sistema desequilibrou-se e é preciso corrigi-lo. Quanto à justiça, há um critério importante: "As diferenças na sociedade devem estabelecer-se de tal modo que também as pessoas que se encontram no fundo da escala possam estar convencidas de que o sistema em geral é justo e lhes é favorável também a elas."

Dos debates tensos de Gerd Kühlhorn com os empresários para impulse, resultaram dez mandamentos para os empresários cristãos, que "talvez sejam um pouco simples, mas certamente mais claros do que todos os fanfarronantes Codes of Conduct". Aqui ficam:

1. Trata dos negócios de tal modo que a tua empresa tenha um bom lucro. 2. Sê justo com os teus parceiros de negócio. 3. Mostra estima pelos teus colaboradores. 4. Faz negócios prospectivamente e assegura o futuro da tua empresa. 5. Procura parceiros que como tu acreditem em Deus. 6. Cultiva a humildade. 7. Coloca os teus talentos e recursos ao serviço dos outros. 8. Não te percas no trabalho. 9. Reconhece que a tua empresa não te pertence a ti, mas a Deus. 10. Respeita todos os que não partilham a tua fé.

No fundo, como diz o bispo W. Huber, encontramo-nos num "ponto de viragem". A confiança é "um capital tão importante para a economia como o dinheiro". Por isso, é preciso que os empresários estabeleçam "um equilíbrio entre a eficiência económica e as consequências sociais do negócio empresarial".

Afinal, a economia não é fim em si mesma, pois é o Homem que tem de ocupar o centro. Daí, como lembrou Martin Buber, o sucesso não ser "um dos nomes de Deus". A solidariedade, sim.

 


In, Diário de Notícias,hoje


 



NOTA

Para a semana falamos melhor sobre o recheio desta casa.Para já, e para não perdermos a noção de viagem com que abrimos este 1963, aceita este texto, independentemente de qual seja a tua atitude sobre estas matérias, aceita-o, exactamente, como uma leitura - fabulosa, permito-me adjectivá-la - a que lanças mão enquanto lanças um olhar sobre o Tejo ao lado do qual sobes a caminho das berças, por exemplo. ac


publicado por animo às 10:29
link do post | comentar | favorito
|

Quinta-feira, 22 de Janeiro de 2009
ERICEIRA 2010
comboioavapor

Pode parecer contraditório - um comboio a vapor, em 2009?! -  mas do que se trata é de um convite para uma viagem cujo próximo paradeiro é o mês de Março de 2010 e a estação de desembarque a da ... Ericeira!

( Não te livras, caríssimo Tobias, tu e o teu mar, de voltarem a receber-nos!)

Exactamente! Já não vai ser possível voltarmos a reencontramo-nos, todos, tal como o fizemos em Março de 2000. Estamos, por isso, destinados a termos saudades uns dos outros de dez em dez anos, depois que andámos mais de trinta sem sabermos uns dos outros. Não interessa chorar sobre o leite derramado. As coisas são como são.

Só que  os tempos mudaram e, hoje, podemos fazer novas viagens utilizando estas novas estradas   que os homens inventaram. A Internet. Para o bem e para o mal este pode ser um meio para aqui trocarmos notícias do que pensamos, do que desejamos e,  sobretudo, do que estamos a fazer na sociedade em que nos integramos. As marcas que deixamos mas, também, os marcos que queremos alcançar. Com uma nuance: por aqui todo o mundo passa . Mais do que a devassa é possivel darmos conta do que entre nós se passa. Nada devemos a ninguém mas sabemos que, cada um de nós, só  com os outros é alguém. Falamos, obviamente, sobre  gente de bem. Bem intencionada, querendo fazer bem. Assim sendo, nenhum temor e até podemos fazer furor, quer dizer, podemos ajudar a perfurar, a lavrar, o chão dos dias, adubá-lo com as nossas ideias, ver nascer novas aldeias, no meio desta grande aldeia web!

1963a

Esta é a mais antiga foto que o escriba guarda na sua mala das tantas recordações. Alcains, Verão de 1963, poucos meses antes da nossa entrada em Gavião. Uma espécie de check-in para a viagem a que, então, nos propunhamos. Muitos ficaram pelo caminho, logo ali, naquela espécie de pré-selecção. São visíveis na primeira linha, ao centro, para além do escriba, à sua esquerda, o jovem Ernesto Afonso e, lá mais ao fundo, à esquerda, o José Júlio, de Castelo de Vide e que não foi à Ericeira (será em 2010, Zé?!)

Fotografias de ontem, sim, iniciais, e que aqui queremos partilhar, mas queremos mais! A porta fica escancarada, de par em par( animados30@gmail.com), para as imagens dos dias de hoje, e, deles, o que é que cada um faz e aceita mostrar. Mas nem só de imagens vai viver o 1963, mas, também, do que cada um quiser: artigos que escrevam noutras sedes, artigos que tenham lido e queiram partilhar, notícias das vossas sedes...das vossas terras, vídeos (vamos aguardar mais um pouco)etc.

A chave para entrar aqui, para já, o nosso mail, lá em cima no cabeçalho. Quem dominar esta arte de blogar a chave lhe poderei dar!(olhá rima!!!). A casa ainda está a ser equipada. Faltam alguns ... móveis e electrodomésticos para a tornar mais acolhedora. A seu tempo lá chegaremos, tudo porque, aí vai máxima cá da casa:

NÃO VIVO PARA BLOGAR, BLOGO DO QUE VIVO E DO QUE QUERO CONTAR.

A net é, de facto, um meio e só valerá a pena se fizermos dela uma janela aberta de que nos possamos abeirar para, serenamente, respirar, e sobretudo, para o nosso caseiro quotidiano arejar.

 Não o queremos substituir, queremos acrescentar, não queremos estar a mais, queremos SER muito mais.

Vão ver que esta viagem vai mesmo correr muito bem . Façam favor, aqui e agora, de ocupar os vosso lugares. Escrevam, critiquem, comentem, metam-se ao c@minho!

a23pordosol

instante8

Tejo acima, Tejo abaixo, às duas por três a A23 .... Lisboa, Castelo Branco, Gavião, Alcains, Mação, Sobreira Formosa, Sertã, Portalegre, Cerejeira, Alvito, Vilar Barroco, Martinchel, Ponte de Sor....

 Em suma, ergamos as  pontes do nosso Ser!

NOTA FINAL

O escriba de serviço não quer ser mais do que isso: ao serviço da escrita, para que nada se perca do que fomos, para que nada se perca do que somos mas não sabemos.Obrigado!

antónio colaço


publicado por animo às 19:43
link do post | comentar | favorito
|

Contador
pesquisar
 
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
16
17
18

19
20
21
22
23

26
28
29


posts recentes

ANIMUS DE LUGAR DE ENCONT...

ESTÁ TUDO DITO

ANIMUS O FIM há sete anos...

VEM AÍ A "ANIMUS SEMPER" ...

ANIMUS SEMPER escreve ant...

comasalpcb@gmail.com O E...

O RESPEITO NÃO SE DECRETA...

DAS ELIMINAÇÕES A CAMINHO...

ESTE BLOG TERMINA NO FINA...

NUNCA ACEITAREI REGRAS SA...

arquivos

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

links
subscrever feeds