Sexta-feira, 29 de Março de 2013
SOMOS TODOS COMPANHEIROS DA MESMA CAMINHADA . escreve Zé Centeio

Caro Colaço,

Uma Santa Páscoa para ti e para todos os teus.
Aí vai um texto para animar e refrescar a ANIMUS e para que, de alguma forma, possa contribuir para a tua ressurreição. E assim nos encontraremos como companheiros de Emaús... até Alcains.
Um grande abraço, meu caro.
Zé Centeio

SOMOS TODOS COMPANHEIROS DA MESMA CAMINHADA

 

Perdoem-me os teólogos e os biblistas, clericais ou leigos, mas desta vez começo com uma pequena incursão nos mistérios insondáveis das Escrituras, porque um simples crente também tem o direito – atrever-me-ia mesmo a dizer, o dever - de se aventurar nos mistérios da Palavra. Como diz, no fecho do seu livro «Caroço de Azeitona», o não crente Erri De Luca, “Enquanto em cada dia me puder deter nem que seja sobre uma só linha daquelas escrituras, não perderei o espanto de estar vivo”. A referência a Erri De Luca não é inocente, pois ao referir o olhar de alguém “acampado fora dos muros da cidade”, é minha intenção cuidada não ferir sensibilidades nesta minha pequena incursão pelas Escrituras. Trata-se de uma espécie de socorro antecipado. Já agora, se me permitem, aconselho a sua leitura. Nesta caminhada da ANIMUS ou melhor, daqueles que através desse espaço se foram e vão reencontrando, tenho consciência da grande amálgama no que se refere à relação de cada um com as Escrituras, com a sua experiência de fé ou ausência dela, com as estruturas e com as diferentes manifestações e práticas. Foi também essa diversidade e amálgama de experiências que me atraíu e me fez sentir acolhido. Mas voltemos ao que aqui me trouxe.

Devo dizer que tenho alguma simpatia pela expressão bíblica «Deus de Abraão». Primeiro, porque nos transmite a ideia de um legado que foi uma construção colectiva de muitos que nos antecederam, transporta consigo uma memória que nos dá uma outra consciência da nossa relação com o mundo e a comunidade, seja ela qual for. Segundo, porque nos dá a ideia de um Deus próximo, companheiro, caminhando ao nosso lado, mas sem nunca pretender substituir-nos na responsabilidade das opções. Gosto, talvez porque me sinto confortado, de um Deus que está próximo, que acompanha. Terceiro, porque o que a expressão acentua a importância do processo – a caminhada – e não o final, a terra prometida. O Deus de alguém que faz caminhada connosco e que sabe que nunca chegará à terra prometida. O que realmente importa é a consciência que vamos adquirindo ao longo do processo e o que coletivamente vamos construindo, independentemente de sabermos ou não onde fica essa terra prometida e se lá chegaremos. Não deixa de ser curioso que o lugar do grande encontro seja precisamente o deserto. A verdadeira motivação – ao contrário do que seria suposto pensarmos – não é a terra prometida, mas o deserto, porque é nesse lugar de encontro que somos postos à prova, ou seja, que a nossa relação com o outro é testada, ganha forma e se solidifica.

Imagino que neste momento a vossa paciência esteja quase no limite sem saberem ao certo ao que venho. Satisfazendo a vossa curiosidade e evitando o risco de esgotar a vossa bondosa paciência, digo-vos que o que aqui me traz é o nosso próximo grande encontro em Alcains, agendado para 18 de Maio. Poderia terminar este meu texto e deixar à imaginação de cada um as ilações do atrás escrito e sua relação com o referido encontro. Sem pretender vos privar de tal exercício, deixo-vos contudo mais algumas achegas. O que realmente me importa, nestes encontros e nos espaços onde- bem ou mal, com mais ou menos arrufos, desânimos, tristezas e muitas alegrias – vamos partilhando o que nos vai na alma ou o que nos dá na real gana, é o percurso que vou fazendo com alguns dos colegas e amigos que reencontrei.

 Não me interessa uma qualquer terra prometida, anunciada ou desejada por muitos. É assunto que não me preocupa, já que, para mim, o essencial está na caminhada e no que vou (vamos) sendo capaz(es) de construir. E não tenho a pretensão, nem tão pouco força e a disponibilidade, de a todas as solicitações responder, pois é natural que me sinta mais próximo de uns do que de outros. Quanto às razões todos as adivinham. Contudo, e aí está a importância da memória coletiva, serei sempre devedor a todos aqueles que me possibilitaram a oportunidade do reencontro e que, antes de mim, também eles fizeram uma caminhada e que me permitiram que hoje também eu seja companheiro. Somos companheiros de uma caminhada independentemente de qual será o seu fim. E será que algum dia terá fim?! Ou não será aí, precisamente no precurso, que radicará a nossa esperança?! O importante é que saibamos ver no outro o pequeno gesto que faz dele «companheiro de Emaús», ou seja, companheiros dessa mesma caminhada.

Como alguns têm defendido, entre os quais o Mário Pissarra, o importante são os encontros que vão tendo lugar. E a Animus tem cumprido o seu papel. E por isso estamos vivos.

Lá estarei em Alcains e  já com água na boca pelas papas de carolo, que adoro. O programa promete. Espero aí encontrar muitos dos que não encontrei em Portalegre. Aliás da Lousa a Alcains, caminho que fiz muitas vezes a pé, é apenas um saltinho. E na Lousa lá estarei para as festas da padroeira, Nossa Senhora dos Altos Céus.

Para finalizar um apelo. Em Portalegre alguém no final me cumprimentou por ter sido do ano do Chico Vaz. No meio de conversas cruzadas e de despedidas, não guardei o nome, apenas sabendo que conhece o Chico Vaz e que este viverá para os lados de Viana do Castelo. Se um deles ler estas linhas, fique sabendo que gostaria imenso de encontrar o Chico Vaz em Alcains. Já agora, mais umas dicas: o Chico Vaz, irmão de um colega mais velho, o Luís Vaz (excelente guarda-redes, do ano do Mingacho?) eram originários da Sobreira Formosa.

Para uma próxima oportunidade fica a promessa de um texto sobre a minha passagem por Alcains e o quanto ela foi marcante na minha vida. Esta promessa é também um desafio para outros companheiros.

Deste vosso companheiro que tem como lema ser feliz em seara de gente.

Um grande abraço.

José Centeio.

 

NR

LINDO.Luminosa,como sempre, a tua Palavra*, Mestre!
Obrigado.

antónio colaço

*Palavra, disse bem.Percebe-se de Quem vem!



publicado por animo às 12:50
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



pesquisar
 
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
16
17
18

19
20
21
22
23

26
28
29


posts recentes

ANIMUS DE LUGAR DE ENCONT...

ESTÁ TUDO DITO

ANIMUS O FIM há sete anos...

VEM AÍ A "ANIMUS SEMPER" ...

ANIMUS SEMPER escreve ant...

comasalpcb@gmail.com O E...

O RESPEITO NÃO SE DECRETA...

DAS ELIMINAÇÕES A CAMINHO...

ESTE BLOG TERMINA NO FINA...

NUNCA ACEITAREI REGRAS SA...

arquivos

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

links
subscrever feeds