Terça-feira, 31 de Março de 2015
A PÁSCOA COM O MANUEL LUÍSescreve antónio henriques

Manuel Luís

Confesso que foi com um misto de alegria e ansiedade que ontem te visitei no hospital de cuidados continuados, onde há longo tempo vives. Há mais de dois meses que não te via e não sabia que surpresas ia encontrar. Para mim, a Páscoa não teria sentido sem este descarregar de consciência visitando um amigo que há muito sofre o estigma da doença, que o retirou do convívio social e o imobiliza numa cama.

Ainda bem que resisti ao pachorrento deslizar dos dias e ganhei coragem para gastar uns momentos com quem não tem a possibilidade de vir ao meu encontro. Os teus olhos brilharam quando notaste a minha presença no silêncio do teu quarto 110. Com uma muito fraca aparência física, a tua mente continua brilhante e até consegues dizer antes de mim o nome dos amigos ou terminar uma frase quando eu não tenho facilidade em encontrar a palavra exacta. E lá vêm os sorrisos contidos, os elogios doces à nossa amizade de muitos anos, entrecortada por esquecimentos que não romperam as relações, felizmente.

Nestes momentos, aproveito para te colocar ao corrente de todas as novidades, falar dos amigos comuns, das doenças que nos afectam, dos encontros (poucos…) que vamos tendo, de histórias que vivemos em conjunto e que nos deixam um laivo de alegria terna: «Nós fizemos muitas coisas lindas… Foi uma vida cheia de boas e bonitas recordações!», dizes tu, repetindo algumas vezes as palavras até eu entender o que dizes na tua entaramelada pronúncia.

 Também falo das lutas perdidas, dos que não consegui levar até ti na esperança de te encher mais os dias. Eu sei que tens familiares e um ou outro amigo que diariamente te visitam, mas a cama de um hospital, sobretudo quando sentimos que é a tua última morada nesta terra, faz imaginar cruelmente a “vivência de semana santa” que tu suportas embora com tanta paz, sem rancores nem invejas: «Estou bem aqui, em casa não ia ter estes apoios…».

Passada uma meia-hora, noto que já estás cansado. Ainda falei do encontro de Linda-a-Pastora e do próximo encontro em Abrantes a 16 de Maio. Depois te contarei como foi. Só rezo para que os teus sofrimentos se transformem em Páscoa de ressurreição, criando entre nós todos aqueles laços de vida que dão mais sabor aos nossos dias.

antónnio henriques



publicado por animo às 10:29
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
16
17
18

19
20
21
22
23

26
28
29


posts recentes

ANIMUS DE LUGAR DE ENCONT...

ESTÁ TUDO DITO

ANIMUS O FIM há sete anos...

VEM AÍ A "ANIMUS SEMPER" ...

ANIMUS SEMPER escreve ant...

comasalpcb@gmail.com O E...

O RESPEITO NÃO SE DECRETA...

DAS ELIMINAÇÕES A CAMINHO...

ESTE BLOG TERMINA NO FINA...

NUNCA ACEITAREI REGRAS SA...

arquivos

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

links
subscrever feeds